Le Magazine Accor Hotels
1 hora, 1 dia, 1 semana

Um dia na Chapada dos Guimarães

Veja as melhores cachoeiras e passeios para um roteiro bate-volta a partir de Cuiabá

O Centro Oeste brasileiro tem alguns dos cenários mais incríveis do nosso país – basta ver alguns destinos como Bonito, o Pantanal e o Jalapão. E com certeza pode ser adicionada a esta lista a Chapada dos Guimarães, com suas belas cachoeiras e formações rochosas, que se misturam à paisagem do cerrado. Se você gosta de aventuras e belos cenários, este é um passeio imperdível para você incluir em suas próximas férias. Agora, se você está com pouco tempo, mas ainda assim quer aproveitar as belas cachoeiras da Chapada dos Guimarães, vale a pena ficar de olho neste roteiro para um bate-volta a partir de Cuiabá.

Cachoeira na Chapada dos Guimarães (Getty Images)
Cachoeira na Chapada dos Guimarães (Getty Images)

O que fazer na Chapada dos Guimarães?

A Chapada dos Guimarães é uma cidade, localizada a cerca de 70km de Cuiabá. Ela abriga diversas atrações – a maioria delas ligadas ao ecoturismo ou a pontos históricos. A região também conta com ótimos restaurantes. Se você quer passar um dia por lá, vale a pena avaliar bem os lugares que pretende visitar e escolher um deles para aproveitá-lo ao máximo – há alguns passeios que incluem caminhadas longas e duram praticamente o dia todo, portanto fica inviável combinar alguns deles com outras atividades.
Cachoeira Véu de Noiva (Getty Images)
Cachoeira Véu de Noiva (Getty Images)

Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é a grande atração do lugar. Com mais de 30 mil hectares, reúne cachoeiras, mirantes, formações rochosas, pinturas rupestres e trilhas, tudo isso cercado pela fauna e flora do cerrado.  Aqui é possível realizar caminhadas, tomar banho de cachoeira e de rio, praticar ciclismo (em trechos específicos) e fazer a observação de animais. A entrada no parque é gratuita, mas é importante ficar de olho, pois algumas atividades do local exigem agendamento prévio com guias ou condutores autorizados pelo Parque Nacional. 
Dentre as atrações do Parque está o mirante da Cachoeira Véu de Noiva. Com 86 metros de altura, a queda d’água é cercada por um paredão de arenito e fica em um vale em forma de ferradura. Ali também há ninhos de araras vermelhas e elas proporcionam um show à parte aos visitantes. A Cachoeira dos Namorados e a Cachoeirinha também são atrativos bastante visitados no parque – aqui é possível banhar-se e fazer piqueniques. 
Outra atração imperdível é o Circuito das Cachoeiras – no qual é possível visitar seis quedas d’água e duas piscinas naturais. Quer ter uma vista incrível do Parque? Então a dica é fazer a trilha que leva ao Morro de São Jerônimo, ponto mais alto, com 800 m de altitude. Mas fique atento – para realizar este passeio é preciso fazer uma longa caminhada, com trechos em aclive e declive, além de uma pequena escalada. Se você for a qualquer uma destas duas atrações, não deixe de passar pela Casa de Pedra, uma gruta de arenito esculpida pelo córrego Independência, que tem até inscrições rupestres.
Um dos cartões-postais do parque é Cidade de Pedra, com formações rochosas e vermelhas esculpidas pelo vento e pela chuva. Aqui é possível avistar também as araras vermelhas. Outra possibilidade para explorar a região é fazer um passeio no Vale do Rio Claro, com caminhadas por áreas com vegetação bem diversificada. Aproveite para subir a Crista do Galo para ter um visual panorâmico dos paredões. Depois, vale ir até Poço da Anta e Poço Verde, onde é possível realizar flutuações para ver peixes.
Igreja de Nossa Senhora de Santana (Getty Images)
Igreja de Nossa Senhora de Santana (Getty Images)

Atrações além do parque

Há alguns atrativos externos que podem ser visitados, como cachoeiras e até mesmo construções históricas:
  • Cidade de Chapada dos Guimarães: a cidade que abriga o Parque Nacional também se chama Chapada dos Guimarães. Aqui é possível passear pelas ruas, visitar feiras de artesanato e bijuterias ou até mesmo de produtos agropecuários. Se estiver pelo centro, aproveite para conhecer a Igreja de Nossa Senhora de Santana, que foi construída em 1779 e é considerado o único remanescente barroco autêntico do estado. 

  • Trilha do Matão: a partir do Horto Florestal de Chapada dos Guimarães, você pode fazer uma trilha até uma área pertencente à Aeronáutica.

  • Mirante do Centro Geodésico da América do Sul: o centro geodésico é um ponto equidistante entre os oceanos Atlântico e o Pacífico – e ele fica em Cuiabá. A partir do mirante, é possível ter uma vista deslumbrante da capital mato-grossense. 

  • Cachoeira da Martinha: localizada a 40 km da Chapada dos Guimarães, trata-se de um conjunto de cinco cachoeiras. 

  • Caverna Aroe Jari e Gruta da Lagoa Azul: é um dos passeios mais bonitos da região e fica em uma fazenda particular, a 46 km da Chapada dos Guimarães. A caverna Aroe Jari é a maior gruta de arenito do país e ela impressiona por sua grandiosidade – sua abertura de 10 m de altura. Ao final do trajeto, há a Lagoa Azul, com águas cristalinas (mas não é permitido o mergulho por aqui).
Rodovia no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (Getty Images)
Rodovia no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (Getty Images)

Como chegar

A Chapada dos Guimarães fica a cerca de 70 km de Cuiabá. Para fazer este trajeto, você pode alugar um carro e seguir pela rodovia Rodovia Emanuel Pinheiro (MT-251), que margeia e corta o parque. 
Outra possibilidade para ir de Cuiabá até lá é de ônibus. De acordo com o site da ICMBio (nstituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), há ônibus praticamente a cada 1h30, mas é importante confirmar diretamente com a companhia os horários e se ele é direto (sem paradas no percurso) ou tem parada no Véu de Noiva (Parque Nacional).
Chapada dos Guimarães no inverno costuma ter bastante nebulosidade (Getty Images)
Chapada dos Guimarães no inverno costuma ter bastante nebulosidade (Getty Images)

Quando ir

O clima na Chapada dos Guimarães costuma ser favorável durante o ano todo. A melhor época para visitar é durante o período de seca, de julho a outubro. No verão (dezembro a março), o clima é mais propício para tomar banhos de cachoeira, no entanto, é um período bastante chuvoso também e, eventualmente, o acesso às quedas d’água pode ser inviabilizado pelas trombas d’água.
No inverno, costuma ter bastante nebulosidade na região, o que pode prejudicar um pouco a vista.  No entanto, é neste período que a cidade realiza o Festival de Inverno, com dança, música, teatro, circo, artes plásticas, folclore, artesanato, fotografia, contação de histórias e capoeira. 
Também é preciso ficar atento aos horários. Como as trilhas estão, em sua maioria, em ambiente de cerrado, sem sombras, o ideal é evitar caminhar por elas durante os horários mais quentes – das 11h às 15h.   A média anual da temperatura na Chapada dos Guimarães é de 25°C. 
Galinhada (Getty Images)
Galinhada (Getty Images)

Onde comer

Depois de visitar as cachoeiras incríveis bateu aquela fominha? Há alguns restaurantes que servem pratos típicos da região como pintado, pacu e mojica (ensopado de peixe com mandioca) e ainda têm uma vista panorâmica de tirar o fôlego. Confira algumas opções:
  • O Bistrô da Mata tem clima romântico, perfeito para curtir a dois, tomando um vinho e apreciando a vista. O destaque da casa é o prato com piraputanga e o rosti de mandioca.

  • O Morro dos Ventos fica na borda de um dos paredões da Chapada dos Guimarães e oferece iguarias típicas da região como Galinhada, Arroz Maria Isabel (com carne seca) e Peixe do Morro (ventrecha de pacú, filé de pintado e pirão). 
  • Comida italiana na Chapada dos Guimarães? Tem, sim! A Trattoria Pomodori tem massas como carro-chefe, mas vale experimentar também as empadas da casa – uma das mais pedidas é a de carne seca com banana da terra.
  • No Estilo Restaurante, os viajantes encontram uma boa opção para comer um delicioso bacalhau
Escalando montanhas (Getty Images)
Escalando montanhas (Getty Images)

O que levar

Se a ideia é passar o dia no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, é bom ir preparado para o sol e o calor. Leve protetor solar, água, chapéu ou boné e utilize roupas adequadas. Por se tratar de um ambiente de preservação, não se esqueça de levar sacos plásticos para acondicionar o seu lixo – jamais deixe nada por lá. Em algumas áreas do parque, não há comércios, portanto, é importante que o turista leve lanches para fazer ao longo do caminho.
Hotel ibis Styles Cuiabá
Hotel ibis Styles Cuiabá

Onde ficar

Se a ideia é fazer um bate-volta de Cuiabá à Chapada dos Guimarães, a melhor opção de hospedagem é o Hotel ibis Styles Cuiabá, que fica a 5 minutos do centro da capital mato-grossense e a 8km do aeroporto.
Independente do seu roteiro, estaremos prontos para receber você em um de nossos hotéis. Reserve seu hotel preferido no aplicativo da AccorHotels e tenha acesso aos melhores preços e benefícios exclusivos.

Você curtiu? Compartilhe!

Quer saber mais?

Continue o passeio

Hospede-se em Cuiabá

Por aí

Mais ideias de viagens

Encontre seu destino perfeito

Com o Radar de Viagens

Descubra