Bruxelas
 

Como aproveitar ao máximo Bruxelas em 3 dias

Planejando uma viagem para Bruxelas? Inspire-se sobre o que fazer enquanto estiver lá com nossa ideia de roteiro de três dias perfeitos. História, cultura, entretenimento, restaurantes... Faça tudo em um ritmo confortável e não perca nada!

▼ Veja as atividades

Não é por acaso que Bruxelas é tantas vezes considerada como a capital não oficial da Europa. É claro, a maioria das instituições europeias têm sede lá, mas você vai descobrir, ao longo da sua estadia, que toda a História da cidade conta também a História da Europa, da Idade Média até os dias de hoje. Uma Europa cuja diversidade é traduzida maravilhosamente por Bruxelas, com suas tensões e sobretudo, com suas reconciliações.

A sua visita começa naturalmente em uma das mais belas praças do mundo, a Grande Praça, que testemunhou os maiores eventos que aconteceram na cidade, em particular as guerras. Ao redor da praça, cada prédio é único e tem uma história para contar. A prefeitura, que você reconhece pela torre gótica com 96 metros e de altura e pela arquitetura assimétrica, é o único edifício da praça que data da Idade Média. A Casa do Rei, reconstruída em 1873 no estilo neogótico, não abriga o rei, mas o museu da cidade, no qual poderá conhecer uma maquete da cidade na Idade Média, bem como os 883 trajes do Manneken-Pis.

Quando sair do museu, desça para o sul ao pegar a Rua Charles Buls, e depois a Rua de l’Etuve, uma rua semi-pedestre, que o levará até o emblema de Bruxelas : o Manneken-Pis, um emblema que destoa em relação à Torre Eiffel ou à estátua da Liberdade, já que mede apenas uns cinquenta centímetros. Seu nome é bem explícito, pois significa « o garoto que urina » na língua de Bruxelas. Suas origens são incertas e deram origem a um bom número de lendas e de histórias. Menos famoso, seu aspecto feminino é visível no Beco da Fidelidade, do lado oposto ao da Grande Praça.

Depois de almoçar alguns mexilhões com fritas, a grande especialidade da cidade, você poderá ir até o Bozar, o Palácio de Belas Artes, que fica pertinho do centro histórico. Este lugar, muito importante para a vitalidade cultural de Bruxelas, acolhe manifestações em todas as áreas, como a música, as exposições, os espetáculos, o cinema ou a arquitetura. O edifíco, construído por Victor Horta no começo do século XX, constitui um exemplo particularmente notável do estilo Art Déco, do qual Bruxelas é uma das capitais mundiais.

De noite, retorne às proximidades da Grande Praça, e mais particularmente à Rua des Bouchers, na qual encontrará muitos bares, restaurantes e uma vida noturna intensa.

Dia 2 >

▼ Veja as atividades

No dia seguinte de manhã, é hora de ir em direção ao segundo grande símbolo da cidade, junto ao Manneken-Pis : o Atomium. Este não fica no centro, mas no Heysel, onde poderá chegar de metrô e onde acontecem as exposições universais. Aliás, foi durante a exposição de 1958 que o Atomium foi construído. Esta grande estrutura representa um cristal de ferro ampliado 165 bilhões de vezes, com o objetivo de evocar a ciência atômica. Acontece que os nove átomos se tornaram, no imaginário coletivo, um símbolo da unidade das nove províncias, que constituíam a Bélgica na época, apesar de se tratar de uma coincidência. Cada esfera acolhe o público, e você poderá fazer um lanche e curtir a vista na esfera mais alta.

De tarde, sempre na zona do Heysel, você poderá conhecer o Parque Mini-Europa, que expõe maquetes da Europa inteira. Uma bela ocasião de planejar a próxima etapa da sua viagem. De noite, o café e cervejaria Le Cirio constitui ao mesmo tempo um ótimo endereço em termos de gastronomia e de patrimônio, já que o edifício em estilo Art Nouveau data de 1886. Este é o café no qual o cantor e compositor Jacques Brel costumava beber um half en half, um cálice flûte com metade de vinho espumante e metade vinho branco.

< Dia 1 Dia 3 >

▼ Veja as atividades

Em seu último dia, pegue a direção do Muse Magritte, que fica logo ao lado do Palácio de Belas Artes. Lá, poderá encontrar mais de 200 obras do pintor surrealista, dentre elas desenhos, pinturas, mas também cartazes publicitários, filmes, fotografias ou partituras musicais.

Ao fim da visita, volte novamente ao Palácio Real e aproveite o parque para fazer um piquenique neste espaço imenso e calmo, no qual o povo de Bruxelas vem para relaxar.

Ainda ao lado do Palácio de Belas Artes, visite o museu dos instrumentos musicais, conhecido como um dos mais completos e interessantes do mundo. De fato, ele possui mais de 8000 instrumentos e uma biblioteca especializada em obras musicais. Ao descer novamente mais alguns passos, você vai dar de cara com a Casa das Histórias em Quadrinhos. Este museu proporciona a descoberta de uma outra grande especialidade da Bélgica. Tintim, Spirou, Blake e Mortimer, Lucky Luke, Gaston, os Smurfs ou Boule e Bill, todos esses personagens são belgas. Dentro do museu, você vai entender a linha clara, uma especificidade das histórias em quadrinhos belgas que, ao contrário do que se pensa, não se aplica apenas ao desenho, mas também à maneira de construir as histórias.

Na sua última noite em Bruxelas, volte ao centro da cidade, sempre perto da Grande Praça, no Beco da Fidelidade para conhecer o Delirium Café e provar uma outra grande especialidade do país : a cerveja. O café propõe mais de 3000 tipos diferentes.

Capital da Bélgica, de coração aberto e amizade fácil, assim como seus habitantes, Bruxelas é uma das mais belas cidades da Europa, que abriga muitos segredos elementos notáveis. Se tiver a oportunidade de passar um pouco mais de tempo, não deixe de visitar o Bairro Léopold, no qual ficam as instituições europeias, bem como o Bairro des Marolles e seu famoso Mercado de Pulgas.

< Dia 2

Nossos hotéis em Bruxelas

 

My TripPlanner

Para utilizar o TripPlanner, você deve se registrar.

Login Inscrição
l> t>