Le Magazine Accor Hotels
Viaje comigo...

Um roteiro de acessibilidade em Copacabana

O Rio de Janeiro tem seus encantos também aos cadeirantes. Confira as dicas da blogueira Laura Martins para curtir o famoso bairro carioca que atrai multidões!

O Rio de Janeiro deve algo do seu encanto a Copacabana, charmoso bairro da zona sul, homenageado em diversas músicas brasileiras e estrangeiras e considerado o berço da bossa-nova. A boa notícia é que a região também pode ser apreciada pelos turistas em cadeiras de rodas, apesar de alguns desafios quanto à acessibilidade.

Laura Martins, do blog Cadeira Voadora

Laura Martins- Cadeira Voadora

Laura Martins vive em Belo Horizonte e é cadeirante. Criou o blog Cadeira Voadora em 2011 para compartilhar reflexões sobre o universo da pessoa com deficiência e, principalmente, dicas de viagens.

Vista aérea de Copacabana, no Rio de Janeiro

Copacabana é repleta de opções de lazer para nós, e o comércio é diversificado. Há também muitas opções de hotéis (fiquei no ibis Copacabana Posto 5) e três estações de metrô à disposição. A entrada acessível da estação Cantagalo fica a uma quadra do hotel que escolhi.
Parte da popularidade do bairro pode ser experimentada simplesmente cruzando-se seu calçadão, deixando as marcas das rodas de sua cadeira por lá. Neste post, você encontra um roteiro de dois dias com dicas de como circular pela região, atrações, restaurantes e outros lugares com acessibilidade. Ah, e te dou um presente: um mapinha com a marcação de todas essas atrações! Clique aqui para acessá-lo.

Passeio pela Orla de Copacabana, no Rio de Janeiro

1º dia (manhã): passeio na orla

Desde o ibis Copacabana Posto 5, basta descer três quarteirões, atravessar a avenida e se preparar para uma paisagem que faz brilhar os olhos. A praia está toda a sua frente!
O calçadão de mosaico português é a marca de Copacabana, piso que não é confortável para cadeirantes. Torça para que ele esteja em boas condições quando você fizer sua visita! Estacione sua cadeira de rodas num dos quiosques para tomar um suco, uma cerveja ou um drinque (que tal uma caipirinha?), coma alguma coisa e aproveite seu precioso tempo para apreciar a paisagem.
Banhos de mar assistidos são possíveis! O projeto Praia para Todos oferece cadeiras anfíbias e o apoio treinado de simpáticos voluntários. É tudo gratuito e fica disponível durante os meses de férias. Para mais informações, leia meu post sobre o assunto.

Estátua de Carlos Drummond de Andrade, no Rio de Janeiro

1ª dia (tarde): foto com Drummond e passeio ao Forte de Copacabana

Que tal passar a tarde no Forte de Copacabana? No caminho para lá, aproveite para tirar uma foto com Carlos Drummond de Andrade. O grande poeta mineiro, itabirano como eu, foi imortalizado em uma bela estátua de bronze, assinada pelo artista Leo Santana, a qual fica entre os postos 5 e 6. Mas tenha paciência, porque ela atrai muitos turistas, e pode haver fila para fotos…
Uma vez registrada sua amizade com o poeta, prossiga até o Forte. O passeio reserva aquele gostinho bom de estar em uma construção histórica que recebeu a atenção de um arquiteto para torná-la acessível. Ponto para o Exército, pela preservação do patrimônio histórico, ao mesmo tempo tornando-o mais adequado às pessoas com deficiência.
Há uma passarela pavimentada que corta toda a área. A cadeira de rodas circula facilmente, sem a típica trepidação provocada pelos paralelepípedos – e sem que fosse necessário removê-los, para não descaracterizar a construção. Curta um lanche ou uma refeição na Confeitaria Colombo do Forte. Os garçons colocam uma rampa móvel para que o cadeirante acesse as mesas externas, e você almoçará tendo à frente uma paisagem estonteante! Há banheiro adaptado próximo à fortificação, quase no final do trajeto cimentado.
Sugiro que, nesta noite, você vá para a cama mais cedo a fim de descansar, porque o dia terá sido muito movimentado, particularmente se tiver optado pelo banho de mar! No dia seguinte tem mais.
Para ler meu post completo sobre o Forte de Copacabana, clique aqui.

2º dia (manhã): compras nas lojinhas da região

A região de Copacabana onde está o ibis Copacabana Posto 5 é muito movimentada, com um comércio diversificado, muitos restaurantes, gelateria, cinema de rua e botecos. Muitos desses estabelecimentos têm rampa na entrada, mas nem sempre ela obedece aos parâmetros de segurança orientados pela ABNT: algumas são bastante íngremes. Porém, observei que os funcionários estão bastante atentos; vários me ofereceram auxílio logo que me aproximei da porta.
Pertinho do hotel, sugiro a loja das sandálias Havaianas (você certamente vai encontrar alguma bem charmosa pra chamar de sua) e a loja de souvenir Rio in Box. Para lanchar, sugiro o Café e Bar Stalos, que tem uma rampa bem suave na entrada (na verdade, ela é quase plana). Se você for vegano, bata ponto no restaurante Rio Vegano, bem perto. É um local pequeno, com um degrau na porta, mas a comida deliciosa, os sucos bacanas e o atendimento acolhedor compensam o esforço. Quem gosta de frutos do mar pode escolher uma das mesas externas do tradicional O Caranguejo, mas os preços são mais altos.

Cinema de rua com acessibilidade

2º dia (tarde): cinema

Copacabana traz uma alegria especial àqueles que sentem saudades dos cinemas de rua: o Cinema Roxy. Localizado na movimentada Av. Nossa Sra. de Copacabana, seu prédio data de 1938. A entrada é plana, tem plataforma elevatória e banheiro acessível. Tem também cafeteria. Que tal curtir um filme à tarde?

2º dia (noite): boteco

Você não poderia deixar de curtir um dos movimentados botecos de Copacabana. Há muitos! Escolhemos o Belmonte, que fica pertinho do cinema e do hotel. Tem rebaixamento de calçada, o passeio em frente está em razoáveis condições. O degrau na entrada é superado com o auxílio de uma rampa que os garçons colocarão a seu pedido. A decoração é bonita, tem gostosos drinques, cerveja, chope e excelentes tira-gostos. Não é sem razão que fica lotado! A atmosfera é descontraída e boêmia, e fica cheio de gente descolada.
O toalete está localizado no piso inferior; para a acessibilidade, eles dispõem de uma cadeira-elevador, instalada na escada. Será necessário fazer a transferência para ela e pedir a alguém para descer as escadas com sua cadeira de rodas. 
No mapa que preparei para você há todos esses endereços e ainda outros, como farmácia e supermercado. Agora, é só preparar a bagagem e partir rumo ao Rio de Janeiro, a fim de descobrir por que Copacabana despertou tanta paixão, como se percebe nestes versos de Braguinha e Alberto Ribeiro: “Existem praias tão lindas, cheias de luz. Nenhuma tem o encanto que tu possuis”.

Você curtiu? Compartilhe!

Por aí

Mais ideias de viagens

Encontre seu destino perfeito

Com o Radar de Viagens

Descubra